O SENTIDO DA ESPIRAL NO LABIRINTO DE PAISAGENS CAMBIANTES INDAGA A ALMA CRIATIVA NO ESPAÇO COLETIVO

NÚCLEO DE ESTUDOS DA PAISAGEM - FAU USP
aprender com a cidade, aprender na cidade
retornar
paisagem                ensino                pesquisa                arte
        espiral da sensibilidade e do conhecimento 

por um conhecimento livre e sensível, por um mundo livre e em paz


NOSSOS OBJETIVOS

Entre as pautas que temos adotado na construção desse projeto na região NW, com irradiação a partir de Perus/Anhanguera, recebem ênfase como referenciais de ação com os quais estamos comprometidos (sem prejuízo de apoiar outras pautas da região e apresentados a seguir sem ordem de importância, ressalvada a priorização absoluta do primeiro item por sua relevância para a cidade e regional):

1) a proteção, restauração e uso público da Fabrica de Cimentos Portland Perus e a implantação do Corredor Cultural e dos três eixos de desenvolvimento defendidos desde o Fórum de Perus;

2) elaboração de um plano participativo de proteção ambiental integrado com equipamentos de educação, saúde, lazer e procurando possibilidades de geração de renda;

3) estímulo e apoio ao desenvolvimento de incubadoras locais nesses temas, sobretudo por jovens e no formato de gestão autônoma e coletiva;

4) desenvolvimento de uma estratégia inovadora de gestão local baseada na participação direta e na capacitação de moradores, administração pública e demais órgãos descentralizados;

5) atenção a uma noção de desenvolvimento fundada em uma perspetiva humanista que valorize as potencialidades de crescimento intelectual, sensível, solidário, sobretudo a partir da educação e cultura, da saúde e do ambiente e da capacitação dos diversos estratos da população para ações baseadas nessas perspectivas;

6) desenvolver material de apoio didático e dinâmicas sobre a história de Perus e programas de curta duração de formação na área de cultura, meio ambiente e cidade;

7) contribuir para ampliar o acesso ao sentido e conteúdo de instituições culturais em outros locais da cidade em projetos educativos visando ampliar estratégias para potencializar uma irradiação cultural e educativa em Perus;

8) contribuir para a valorização da memória e da história vivida pela população, de seu conhecimento e para a reflexão sobre o sentido dessas experiências na construção da cidade.

Deve-se observar que esses objetivos não podem ser alcançados todos ao mesmo tempo e exigem uma duração continuada do projeto. Não são apenas uma meta a se atingir ou para contribuir com sua viabilização. São uma experiência continuada, a partir de procedimentos dialógicos e inovadores de aprendizagem em ação solidária, para além das hierarquias de saberes da educação formal que assim hierarquizam os viventes diminuindo tanto o campo de significação e troca de experiências, quanto a possibilidade de construção de novos conhecimentos e procedimentos.

Desenvolvemos as atividades em uma perspectiva transdisciplinar e poética, ultrapassando as fronteiras das fragmentações disciplinares dos campos científicos (não por lhe negarmos validade e contribuições, que são notórias, mas por explorarmos um outro caminho cognitivo) e com elas dialogando. A prática e o conhecimento que buscamos é colaborativo, criativo, afetivo e experimental. Devo ainda observar que estes objetivos e processos estão em construção e indagação contínua, decorrente do caráter experimental, partilhado e processual do aprendizado como descoberta em uma existência ativa e criativa, um contínuo estar no mundo entre outros.



aprender com a cidade, aprender na cidade

NÚCLEO DE ESTUDOS DA PAISAGEM - FAU USP